ENCICLOPÆDIA

BIOGRÁFICA DE

ARQUITETAS e ARQUITETOS

DIGITAL 

"EBAD" - DESDE 2015 - by Silvio Durante
RENAAT BRAEM
♦  1910
† 2001

PERFIL BIOGRÁFICO:

 

Renaat Braem nasceu na Antuérpia em 1910. Ele se formou como arquiteto da Real Academia de Belas Artes de Antuérpia, em 1935, e seu trabalho de graduação contou com um design de inspiração construtivista para uma cidade linear entre Antuérpia e Liège. Ele recebeu o Prêmio Godecharle bianual do mesmo ano.

 

Braem usou o dinheiro do prêmio para estudar no exterior, trabalhando no ateliê de Le Corbusier em 1936 e 1937. Ele se tornou um membro do Congresso Internacional de Arquitetura Moderna em 1937, e suas primeiras realizações arquitetônicas nestes anos pré-guerra foram enraizada firmemente no novo estilo "moderno".

 

Ele se tornou um dos mais importantes arquitetos da Bélgica no início de 1950, quando ele recebeu duas encomendas do conselho da cidade de Antuérpia: o desenvolvimento do Centro Administrativo no coração da cidade, e um projeto de habitação social em Het Kiel, um bairro dos subúrbios. O Centro Administrativo só foi parcialmente realizado dez anos depois e a única torre que foi construído no final tornou-se a Torre de Polícia, o quartel-general da polícia de Antuérpia. O projeto de habitação social foi construido e tornou-se um marco na história da habitação social na Bélgica e uma das realizações arquitetônicas mais importantes da década de 1950.

 

Durante as próximas duas décadas, Braem criou muitos projetos, que vão desde edifícios privados até grandes complexos habitacionais. Sua obra foi fiel à Carta de Atenas do CIAM até o final dos anos 1960, quando seu trabalho tornou-se menos rígido e mais orgânico.

 

Braem também foi uma figura importante no estudo e debate de arquitetura moderna na Bélgica, co-fundador de revistas importantes como a ''Plano e Arquitecura'', escrevendo artigos, e sendo entrevistado para a rádio, televisão e jornais. Em 1968, ele escreveu o livro "O país mais feio do mundo", um ensaio contra o ordenamento do espaço pós-guerra da Bélgica junto com uma forte mensagem ecológica embutida no livro. 

 

Renaat Braem publicou suas memórias intitulada "O país mais bonito do mundo" em 1987, contrapondo-se ironicamente ao seu livro anterior. Ele se mudou para uma casa de repouso em 1997. Sua casa privada, construída em 1955, e todo o seu conteúdo (arquivo, biblioteca, móveis) foi legada à Comunidade Flamenga em 1999. Ele morreu em 2001, em Essen. Sua casa foi transformada em um museu.

Renaat Braem

OBRAS SELECIONADAS:

 

Todos os croquis, perspectivas, desenhos e um grande acervo de fotos e informações das obras de Braem (data, local, propriedade, etc)  estão reunidos no site "De Balans van Braem" (O legado de Braem, em português), o site está em idioma holandês, e pode ser acessa do link: www.debalansvanbraem.be

 

 

Referencias:

 

- GLANCEY, Jonathan. Guia Ilustrado de Arquitetura. Trad. Laura Alves e Aurélio Rebello. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

 

- De Balans van Braem. Disponivel em http://www.debalansvanbraem.be/. Acesso em 06 e julho de 2015.

 

- EXPOSIÇÃO DO CENTENARIO BRAEM, 1910-2010. Disponivel em http://www.braem2010.be/over-braem#intro. Acesso em 06 de julho de 2015.

 

- Portal Arquitetura Belgica. Renaat Braem. Disponivel em http://www.architectura.be/nl/newsdetail.asp?id_tekst=818. Acesso em 06 de julho de 2015.

Como citar este documento:

Enciclopædia Biográfica de Arquitetos Digital

Autor(es) do verbete:: DURANTE, Silvio
Título: Renaat Braem

Documento nº: B31
Disponível na Internet via: 
Última atualização: 06/07/2015

Início

Índice A-Z

Enciclopédia Biográfica de Arquitetas e Arquitetos Digital