ENCICLOPÆDIA

BIOGRÁFICA DE

ARQUITETAS e ARQUITETOS

DIGITAL 

"EBAD" - DESDE 2015 - by Silvio Durante
Phidias (ou Fídias)
♦ 480 a.C, Grécia
† 430 a.c, Grécia

PERFIL BIOGRÁFICO:

 

Embora não existem trabalhos originais que podem ser atribuídos a Fídias, as numerosas cópias romanas com alto grau de fidelidade atestam a genialidade deste escultor. Fídias viveu no "Século de Péricles" o período de maior produção cultural atheniense. Ele foi um dos artistas responsáveis que promoveram a escultura grega do período arcaico para o período clássico.

 

Da sua vida pouco se sabe além de suas obras. Ele nasceu em Athenas e foi amigo pessoal de Péricles, que confiou à ele a chefia das obras de embelezamento público da capital grega. Acredita-se que primeira encomenda foi a de esculpir um grupo de heróis nacionais tendo o general Milciades, responsável pela vitória dos gregos contra os persas na batalha de Marathona, como uma figura central da escultura, isso por volta de 460 a.C.

 

Em 457 a.C, Fídias realiza sua primeira grande obra pública, a Estátua de Athena Promaco (Athenas guerreira), conhecida como a "Athena de Bronze" feita com este metal, com cerca de 10m de altura, instalada na entrada da Acrópole, que segundo os relatos antigos era possivel ser vista de bem longe. Esta estátua foi levada para Constantinopla e destruída por uma revolta popular em 1203. Foi o trabalho de Fídias que mais chegou perto de nossos dias.

 

Em 447 aC, Péricles, encomendou várias esculturas para Atenas. Péricles usou parte do dinheiro da Liga de Delos para reconstruir e decorar Atenas. a Liga de Delos era um acordo político firmado pelas cidades gregas, que continha um fundo especial de proventos e riquezas, para que, em caso de nova invasão persa, seria possivel recorrer à ele para armar os exércitos, preparar as defesas e outras situações emergenciais de guerra.

 

A estátua de "Athena de Ouro" instalada no Partenon, foi a segunda grande composição isolada de Fídias, iniciada em torno de 447 a.C. e completada cerca de 438 a.C.  Segundo relatos antigos, ela fora realizada em marfim e ouro (daí o nome "Athena de Ouro"), sobre um núcleo de madeira e concebida estando de pé. Na mão direita segurava a imagem da Vitória, e com a outra empunhava uma lança, ao lado da qual, junto ao chão, havia um escudo e uma serpente. Tinha um elmo ricamente decorado, coroado por uma esfinge ladeada de grifos. Sua túnica chegava-lhe aos pés e no peito estava um medalhão com a face da Medusa. Ficava em um pedestal. Plínio, historiador romano do século I da era cristã, a descreveu como tendo cerca de 12m de altura.

 

Logo após a obra do Partenon, Fídias parte para criação da estátua de Zeus Olímpico, instalada no templo de Zeus em Olímpia, completada em torno de 430 a.C.,2 e considerada uma das sete maravilhas do mundo antigo segundo a lista original de Antípatro de Sídon.

 

As descrições antigas contam que a estátua foi concebida em posição sentada, mas suas dimensões exatas não foram transmitidas à posteridade. Diz a tradição que era tão grande que mesmo sentada, teria cerca de 12 m. Era revestida de ouro e marfim e em parte colorida. Trazia uma coroa de louros na cabeça e mão direita carregava uma imagem da Vitória. Com sua mão esquerda empunhava um cetro feito de vários metais, em cuja extremidade havia uma águia.

 

O destino do Zeus é controverso. Alguns supõem que ele foi perdido no incêndio em seu templo original em 426 d.C. Segundo o relato antigo, os descendentes do escultor foram honrados com o cargo de conservadores oficiais da estátua de Zeus, numa linhagem que perdurou até o século II d.C.

 

Em escavações ocorridas entre 1954 a 1958 arqueólogos alemães encontraram a oficina de trabalho, em Olimpia, onde Phidias montou e trabalhou o ouro e o marfim usado no Zeus. No local, havia ainda alguns fragmentos de marfim, bem como moldes e outros equipamentos de fundição, e um copo de terracota esmaltado de preto gravado "Eu pertenço a Phidias".

 

 

Fídias

(em gravura moderna)

OBRAS SELECIONADAS:

 

> (1) Reprodução de Leo von Klenze, da Acrópole grega com a Athena de Bronze, de 1846

> (2) Athena Partenon, na Acrópole.

> (3) Estátua de Zues, em Olimpia

> (4) Ruínas da Oficina de Fídias, em Olímpia, descoberta na década de 1950.

 

> (1) Reprodução da Acrópole
> (1) Reprodução da Acrópole

> (1) Reprodução de Leo von Klenze, da Acrópole grega com a Athena de Bronze,

> (2) Athena Partenon, na Acrópole.
> (2) Athena Partenon, na Acrópole.

> (2) Athena Partenon, na Acrópole.

> (3) Estátua de Zeus, em Olímpia
> (3) Estátua de Zeus, em Olímpia

> (3) Estátua de Zeus, em Olímpia

> (4) Ruínas da Oficina de Fídias
> (4) Ruínas da Oficina de Fídias

> (4) Ruínas da Oficina de Fídias, em Olímpia, descoberta na década de 1950.

 - Referencias:

 

- FERNANDES, Prof. Carlos. Fídias. Dicionário Só Biografias. Disponível em www.dec.ufcg.edu.br/biografias/Fidias00.htm. Acesso em 29 de julho de 2015.

 

-GLANCEY, Jonathan. Guia Ilustrado de Arquitetura. Trad. Laura Alves e Aurélio Rebello. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

 

- Hyper Story. Phidias. Disponivel em www.hyperhistory.com/online_n2/people_n2/persons2_n2/phidias.html. Acesso em 29 de julho de 2015.

 

- MONUMENTAL LOSS. Zeus at Olympia. Disponível em monumentalloss.com/statue-of-zeus-at-olympia/. Acesso em 29 de julho de 2015.

 

Como citar este documento:

Enciclopædia Biográfica de Arquitetos Digital

Autor(es) do verbete:: DURANTE, Silvio
Título: Phidias

Documento nº: P15

Disponível na Internet via: 
Última atualização: 29/07/2015

Início

Índice A-Z

Enciclopédia Biográfica de Arquitetas e Arquitetos Digital